segunda-feira, 9 de junho de 2014

COMO É QUE NINGUÉM SABE...


Rebelo de Sousa "Como é que ninguém sabe de Direito no Governo?"

O comentador Marcelo Rebelo de Sousa teceu hoje algumas críticas à forma como o Governo tem dirigido a questão do chumbo do Tribunal Constitucional a três normas do Orçamento do Estado. Na antena da TVI, o social-democrata considerou que o pedido de aclaração foi um “erro de Direito” e questionou: “Como é que ninguém sabe de Direito naquele Governo?”.
No seu habitual comentário semanal na TVI, Marcelo Rebelo de Sousa debruçou-se, entre outras questões, sobre a polémica em torno do chumbo do Constitucional.
O antigo líder do PSD considerou que “a primeira reação [do Governo] foi dura, mas inteligente com Pedro Passos Coelho e Paulo Portas a vitimizarem-se”.
Contudo, sublinhou, a “segunda reação, que foi o pedido de aclaração, foi um disparate”.
“Foi um erro de Direito. Como é que ninguém sabe de Direito naquele Governo”, questionou Marcelo Rebelo de Sousa.
E continuou: “O Governo achou que ainda estava em vigor uma lei que ele próprio tinha mudado e que podia pedir uma aclaração”.
Na opinião do comentador, o primeiro-ministro cometeu “outra asneira” quando se pronunciou sobre a escolha dos juízes, considerando “um perigo” quando o chefe do Executivo “se põe a divagar”.
“Quando o primeiro-ministro se põe a divagar é um perigo. E então divagou sobre a forma como os juízes são escolhidos que, na verdade, são escolhidos pela maioria”, apontou.
Ainda sobre este tema, o antigo ministro dos Assuntos Parlamentares referiu que “a culpa” da escolha dos juízes é do primeiro-ministro e do vice-primeiro-ministro porque “estavam distraídos e não fizeram o trabalho de casa”.

3 comentários:

  1. Ninguém no governo sabe de direito!...
    porque o governo nasceu torno, torto continua
    desengonçado sem ter qualquer jeito
    já há muito tempo deveria ter ido para a rua...

    Um abraço e bom feriado.

    ResponderEliminar
  2. Um dia fui visitar!
    a quinta do António
    estava a gata a miar
    dentro do consultório.

    Esperando a sua vez,
    para ser bem atendida
    de certeza, não talvez
    a vida é filha da vida!

    O tomateiro a trepar,
    o cão de guarda a dormir
    uma cebola a grelar
    o enxerto a florir!

    Um pardal a voar,
    no chão uma folha a cair
    os carneiros a pastar
    as ovelhas a parir.

    Aquilo é que é uma quinta,
    das melhores que há no mundo
    diga lá as verdades não minta
    não queira ser vagabundo!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus animais agradecem
      Estes poemas a consolá-los
      Lá vivem felizes e envelhecem
      Tal como o dono a tratá-los.

      Eliminar