Parque Nacional da Gorongosa-Moçambique África
Segunda-Feira, 11 de Fevereiro 2013

Marínguè, Chemba e Gorongosa recebem tractores para lavoura

Três distritos da província de Sofala, nomeadamente Marínguè, Chemba e Gorongosa, vão receber três tractores cada, com vista a criarem centros de prestação de serviços (CPS) que vão impulsionar a produção agrícola. 
Com efeito, o representante do Fundo de Desenvolvimento Agrário, Ermelindo José, procedeu na passada quinta-feira à entrega de nove tractores ao Governo provincial de Sofala, numa cerimónia que contou com a presença do governador Félix Paulo.
Falando a jornalistas, após a entrega simbólica das chaves ao governador Félix Paulo, Ermelindo José, disse que o objectivo dos tractores é a criação dos centros de prestação de serviços. 
“Em anos anteriores, nós entregávamos directamente aos produtores, mas havia problemas porque por falta de experiência no tocante à assistência técnica. Passado pouco tempo, os tractores apresentavam deficiências mecânicas”, explicou.
E acrescentou: “O que queremos neste momento é criar estes centros,  o que significa que vamos lançar um concurso público e faremos uma avaliação para aferir se o beneficiário reúne condições para gerir o empreendimento ou não”.
Referiu que o gestor não iria apenas encarregar-se da parte da assistência técnica do equipamento, mas também vai prestar outro tipo de serviços, no futuro.
A fonte  referiu que os tractores foram adquiridos com fundos do Estado, num montante avaliado em pouco mais de 273 milhões de meticais, através do Fundo de Desenvolvimento Agrário. 
“Um tractor destes vai custar ao beneficiário 1.200 mil meticais, mas este não é o preço real da aquisição. Temos duas modalidades de pagamento, a pronto, cujo valor é o que já foi mencionado. Pode também pagar 50 por cento no acto da entrega e nos próximos dois anos liquidar o remanescente, em duas prestações, a uma taxa de juros de 10 por cento”, disse, falando dos procedimentos para a aquisição dos tractores.
Explicou ainda que,  numa primeira fase,  os centros vão funcionar numa parceria entre o Governo e o sector privado,  mas depois de ganhar experiência suficiente a gestão vai ser entregue a privados.
Entretanto, na sua intervenção, o governador de Sofala, Félix Paulo, disse que os tractores não são suficientes, mas  já é um passo dado. “Queremos agradecer ao Fundo de Desenvolvimento Agrário, ao Governo central por terem disponibilizado este equipamento que vai ser útil e vai marcar a diferença na produção agrícola na nossa província. O que nós esperamos é que eles (tractores) sejam entregues,  de facto,  a pessoas idóneas, com responsabilidade no sentido de fazerem a  sua manutenção  para que possam durar mais tempo”.
Félix Paulo acrescentou que “também queremos pessoas que não vão especular os preços estabelecidos para não prejudicar os nossos camponeses. São essas pessoas que nós precisamos que fiquem com as máquinas. A selecção dos beneficiários terá que ser muito criteriosa para que possamos atingir os objectivos que pretendemos”.
O governante referiu, respondendo a uma questão, que o processo de criação de centros de prestação de serviços já começou no vale do Zambeze, com o estabelecimento de dois em Caia-sede e em Murraça. “Estes tractores vão beneficiar os três distritos já mencionados, mas não vamos parar por aqui. Se conseguirmos outro equipamento, e temos a certeza que o Governo central vai providenciar, vamos contemplar outros distritos na nossa província, que aliás já foram definidos”, sublinhou.