domingo, 21 de outubro de 2012

A SOLUÇÃO ENCONTRADA PELA AUTOEUROPA...


Autoeuropa leva pessoal a emigrar para não despedir

Publicado às 17.56

EDUARDA FROMMHOLD
 
 
foto JOÃO GIRÃO/GLOBAL IMAGENS
Autoeuropa leva pessoal a emigrar para não despedir
Medida será implementada em 2014 para evitar despedimentos
 

Comissão de Trabalhadores e Administração da empresa estão a estudar medidas para fazer face à quebra de produção. Trabalhadores admitem passar um ano na Alemanha para manter posto de trabalho.
A Autoeuropa está a pensar transferir temporariamente trabalhadores para as fábricas da Volkswagen na Alemanha, para evitar ter que despedir pessoal em Palmela. A ideia resultou de um workshop entre a Comissão de Trabalhadores (CT), administração da empresa e representantes da casa-mãe na Alemanha, para fazer face à queda da produção que inevitavelmente irá acontecer no próximo ano, avançou ao JN/Dinheiro Vivo o coordenador da CT, António Chora.
Os trabalhadores já começaram a ser consultados à cerca da eventual disponibilidade para irem trabalhar para a Alemanha por um período de tempo ainda não definido, mas que poderá ser de um ano. À partida, a aceitação parece ser boa, mas as condições ainda não foram discutidas. "Por enquanto é apenas uma possibilidade que está a ser estudada e os trabalhadores estão a ser auscultados, mas ainda não há nada de concreto", esclareceu António Chora.
A ideia, aliás, não é nova. Os trabalhadores da fábrica portuguesa já estão habituados à mobilidade de mão de obra entre fábricas da Volkswagen e muitos deles já participaram dessas ações quando é necessário reforçar as equipas para aumentar a produção em determinada unidade devido ao lançamento de um novo produto, explicou ainda o coordenador da CT. Mas a solução nunca antes tinha sido utilizada para evitar despedimentos devido à falta de encomendas, que são a consequência da difícil crise que os fabricantes de automóveis, sobretudo europeus, atravessam.
Com capacidade para produzir de 800 a 900 veículos por dia, em três turnos de laboração, a fábrica da Autoeuropa está agora a produzir em média apenas cerca de 625 carros por dia. E isto porque tem recorrido ao lay-off. Até ao final de novembro, estas paragens da produção já representam mais de um mês. "Até agora já foram realizados ao longo deste ano 25 dias de lay-off e estão marcados mais oito dias de paragem da produção até ao final de novembro", salientou António Chora.
E é pouco provável que pare nos 33 dias, prevendo-se que deverão ser necessários novos dias de lay-off em dezembro, admite, acrescentando que, "neste momento, a gestão pela casa-mãe na Alemanha está a ser feita mês a mês", à medida que vão ficando a conhecer as encomendas.

Sem comentários:

Enviar um comentário